Publicado em Deixe um comentário

Sobre fazer o que amo

Sobre fazer o que amo

Descobrir o que ama fazer não é um caminho em linha reta. O fazer dele também não. Fazer o que ama pode ser prazeroso, mas não significa que será fácil.

Haverão momentos de chegar na encruzilhada, e ter que escolher. As vezes o caminho leva pra lugar nenhum na mais boa das intenções. As vezes a escolha errada leva pra mais longe da sua intenção, dificultando seu encontro.

Ou faz andar em círculos e te coloca na mesma bifurcação de novo, e de novo, (se você tiver sorte) e aí está a segunda, terceira, quarta chance de fazer a escolha outra vez, mais vivida, mais calejada. Isso não significa que você não aprenderá com isso. Roupa e bagagem cheia de espinhos, corpo com arranhões e lama. Mas essa é a sua história e o que trouxe seu aprendizado.

Já estive literalmente perdida em uma trilha, sem mapa ou gps, nem sinal de celular, ninguém morando perto ou passando pra perguntar qual caminho. A comida da mochila nas últimas em um trajeto que já exauriu suas forças físicas e psicológicas. Foi numa fronteira não transitada na Patagônia, entre Chile e Argentina.

O que a gente tinha mais próximo de um guia eram anotações de um amigo que havia feito o percurso, mas no sentido oposto. O referencial não era a mesma montanha, apesar do caminho ser o mesmo.

Um dia inteiro buscamos a trilha certa. #sabenadainocente não tinha trilha certa! Eram apenas caminhos aleatórios abertos pelos rebanhos em meio a vegetação arbustiva e espinhosa.

Tomamos a decisão de escolher uma orientação primeiro e esquecer essa coisa de tomar a trilha mais batida. 
Você sabe o que queria quem sulcou aquele caminho antes de você? Vai que era o rebanho?!

Tivemos que estabelecer nosso próprio referencial e arriscar a ultima porção de comida baseados na intuição e direção do sol (apesar do dia nublado, até que funcionou).

Você quer apenas seguir o caminho aleatório do rebanho? Ou você tem uma intenção nesse caminhar? E por mais que você esteja sentindo medo, nervosismo, insegurança e desesperança, não esqueça de se possível, contemplar a paisagem linda e apreciar quem está nessa presepada da vida contigo!

Fica aqui mais uma reflexão inspirada nas vivências da estrada, essa minha grande mestra!