Publicado em Deixe um comentário

Quem tem medo da página em branco?

Quem tem medo da página em branco?

Quem tem medo da página em branco? Olho para as cores lindas na palheta, e tremo!

Quem tem medo da página em branco?

Algumas pessoas sabem, outras não, passei 2 anos da minha vida morando numa barraca, percorrendo em bicicleta as estradas da América do Sul com meu companheiro. 

Frequentemente perguntam se não tive medo ou vontade de desistir. Nunca pensei em desistir. Sim, tive medo. Mas fui.

Quem tem medo da página em branco?

Ei Ana, isso aqui é pras aquarelas, o da viagem é outro, porque você está falando disso? Nada a vê!

Calma, tentarei conectar os pontos! 

Tanto a incerteza da estrada quando a folha em branco causam o mesmo impacto em mim. Ao ficar frente a elas, a vontade de fazer qualquer outra coisa, menos me submeter a um local de desconforto que não sei o que me reserva. E por que eu vou mesmo assim? E por que não penso em desistir?

Aquela subida que não vejo o fim ou o papel em branco. No fundo não é receio do que tem depois da curva, mas tentativa de adiar o sofrimento de sentir as pernas ardendo, poupar-me a frustração por que avançamos tão devagar nas subidas. Não tem outro jeito de fazer o caminho. Uma carona? Não, não é sobre chegar no topo.

Não conte com a descida esperando depois da curva, se você esperar isso, ferrou! Geralmente é outra subida, várias vezes será mais inclinada e mais longa que a anterior. 

Que é que impulsiona a continuar e nunca me fez pensar em desistir? 

Quem tem medo da página em branco?

Tenho uma teoria: a sensação de capacidade. Olhar para trás e ver o que fui capaz de atravessar. Se consegui subir essa, eu posso enfrentar a próxima! Estar consciente disso é ouro!

Ao concluir uma pintura tenho a mesma sensação, eu consegui!  E por quê tremo nos recomeços? Talvez eu esqueço, talvez é minha mente com medo da frustração e da dor outra vez me sabotando. Busco  lembrar que já fui capaz. E se não der certo dessa vez? Se você não tentar, não vai saber, não expere a descida!

Vai ser difícil, aparece vontade de abandonar, vai arder, momentos que tudo parece uma M* e que nada dá certo (ah, como tem fases assim na aquarela!)

Quem tem medo da página em branco?

Que a gente lembre que é capaz, para aos poucos, a página em branco ganhar as suas cores. Suas! Suba!

Ps: escrevi pra mim mesma, e talvez possa ser util pra você também! 

Ótima quarta-feira!